Governo ficará com R$300 de quem não sacou: veja mais aqui!

No ano de pandemia em que estamos passando, algumas medidas foram adotadas pelo governo para conseguir melhorar/auxiliar a vida financeira de milhares de brasileiros que acabaram perdendo seu emprego ou que tiveram a redução monetária muito grande, visto que o trabalho informal no Brasil tem altos índices.

Dessa forma, o auxílio emergencial surgiu com o intuito de suprir com R$600 as contas das famílias brasileiras, sendo posteriormente dividido entre parcelas menores de R$300. Mas, você sabe o que acontece caso o cidadão não utilize o seu valor de direito?

Veja abaixo quais são as consequências, para onde irá esse dinheiro e demais informações.

Governo ficará com R$300 de quem perdeu os saques

Governo ficará com R$300 de quem perdeu os saques

Aquelas pessoas que foram aprovadas para receber o auxílio emergencial devem estar atentas ao prazo para sacar as parcelas. Segundo o governo, o saque do valor será permitido em até 90 dias depois de se ter o crédito na conta poupança digital totalmente liberado.

Caso o cidadão não faça o saque dentro do prazo previsto, a quantia volta automaticamente para os cofres do governo. Dessa forma, aqueles que estão inscritos por meio do Bolsa Família, tem o limite de 270 dias para conseguir sacar o valor.

Segundo a Caixa, não existe nenhuma chance de conseguir reter o valor novamente depois que ele volte para à União. Mas, é importante ressaltar que caso uma parcela seja devolvida para o governo, não retornará as demais parcelas, por isso, tenha atenção na data de expiração das mesmas.

O auxílio será prolongado até dezembro

O presidente Bolsonaro anunciou que o auxílio emergencial será prolongado até o mês de dezembro, compondo o valor de R$300. Essa continuidade foi oficializada por meio de uma medida provisória, que ainda precisa ser aprovada por deputados e senadores do Congresso Nacional.

No ano de 2020, o Executivo já fez o depósito de cinco parcelas de R$600 para aqueles que foram agraciados com o auxílio, dessa forma, auxiliando aqueles brasileiros que são considerados no grupo de baixa renda, os trabalhadores informais, MEIs, os autônomos e também os desempregados.

Qual o número de parcelas para receber?

A quantidade total das parcelas em que o cidadão terá direito vai depender do dia em que ele começou a receber o auxílio. O máximo que será possível são nove parcelas, sendo que as cinco primeiras são compostas de R$600, enquanto as últimas serão de R$300.

  • Quem começou a receber a primeira parcela no mês de abril: 9 parcelas;
  • Quem começou a receber a primeira parcela em maio: 8 parcelas;
  • Quem começou a receber a primeira parcela no mês de junho: 7 parcelas;
  • Quem começou a receber a primeira parcela no mês de julho: 6 parcelas;
  • Quem recebeu a última parcela de R$600 no mês de agosto: irá receber 4 parcelas de R$300 nos demais meses;
  • Quem recebeu a última parcela de R$600 no mês de setembro: irá receber 4 parcelas de R$300 nos demais meses;
  • Quem recebeu a última parcela de R$600 no mês de outubro: irá receber 4 parcelas de R$300 nos demais meses;
  • Quem recebeu a última parcela de R$600 no mês de novembro: irá receber 4 parcelas de R$300 nos demais meses.

Segundo o governo, quem fez o contestamento por meio da plataforma digital entre os dias de 20 de julho até 25 de agosto, e caso seja considerado elegível, se receberá no total 4 parcelas de R$600, começando apenas no Ciclo 3.

Assim, as pessoas não tem nenhum direito às parcelas do chamado auxílio emergencial residual, que é composto de R$300.

As mulheres que são chefes de família terão direito a duas cotas:

  • Cinco primeiras parcelas de R$1200;
  • Quatro últimas parcelas de R$600.

Agora que você já sabe como funcionará a distribuição dessa renda, vale a pena ficar de olho em quando será o seu recebimento específico, facilitando assim todo o processo de saque e também de transferências, em alguns casos. Procure se atentar a data limite para que não perca esse dinheiro, caso contrário, não será possível recuperar o mesmo posteriormente.

Mantenha-se sempre ligado em nosso site para saber mais sobre as principais notícias de economia, de atualização e de tudo aquilo relevante em nosso país.

Marcela Mazetto
Jornalista formada pela PUCPR viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Deixe seu comentário