Novo aplicativo de corridas brasileiro cobra R$6 por viagem de até 10km

A startup brasileira Sity anuncia o lançamento de uma nova forma de corrida, a Sity X. Esse novo modelo é quase similar aos demais, mas tem como diferencial o valor de R$6 por qualquer viagem de até 10km de distância.

Fundada em 2017, a paulista Sity expandiu seus negócios mesmo em tempos de pandemia, na contramão da maior do segmento de corridas por aplicativos, a Uber, que caiu 80% em todo país. Mesmo com pouca circulação de pessoas nas cidades do país, a startup levou seu negócio para mais 92 municípios.

Outro fator diferencial é a remuneração do motorista. Segundo a empresa, a maior parte das corridas nesse modelo seriam de 2km a 4km e em outros aplicativos o valor seria de cerca de R$7 com descontos de até 20%. No Sity o motorista tem oportunidades para isenção de taxas e quando há cobranças, o desconto é de 10%. Uma das opções para isenção de tarifa é a abertura de conta no Banco Pan, parceiro do negócio.

Sem contar que a cada 100 viagens realizadas, a startup oferece uma remuneração de R$1200 para motoristas parceiros. Essa foi uma das principais estratégias da empresa para o forte crescimento, além de estratégias de cupons de desconto para atrais mais clientes a fim de aumentar a demanda. Atualmente a empresa conta com mais de 45 mil motoristas ativos e cerca de 100 mil passageiros cadastrados. 

Trajetória e metas

Fundada por um jovem empresário do interior de São Paulo, a Sity foi fundada para suprir carências no atendimento de qualidade para motoristas e usuários, mesmo  em um mercado de ampla concorrência entre Uber, 99 e Cabify. A nova startup dá mais controle aos motoristas, pois eles podem ver uma selfie do passageiro, além do destino e da forma de pagamento antes de aceitar a corrida.

A Sity conta apenas com investidores internos, cerca de 60 colaboradores em seu escritório localizado em São Paulo, com previsão de aumentar o quadro para 200 funcionários até o fim de 2020.

Para além da expansão para mais 29 cidades ainda nesse ano, outras metas de crescimento são mais ambiciosas: a empresa estima que o aplicativo atinja 2 milhões de passageiros cadastrados e 80 mil motoristas parceiros nesse mesmo período. 

 

Felipe Calbo
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo atuante na chamada "massa de mídias", trazendo mais um braço da pluralidade de opinião em detrimento do mito da imparcialidade.

Deixe seu comentário