Abono Extra: novo projeto prevê mais R$2000 para beneficiários do INSS

O Congresso Nacional tem elaborado diversos projetos de lei com objetivo de proteger milhões de brasileiros financeiramente vulneráveis afetados pela pandemia de coronavírus. Um desses projetos prevê o pagamento de um abono extra no valor de R$2000 aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A ideia, criada por iniciativa popular, foi  transformada em Projeto de Lei pela Deputada Federal Sâmia Bomfim (PSOL/SP) e ainda está tramitando no Senado Federal. O documento prevê beneficiar cidadãos cadastrados no Benefício de Prestação Continuada (BPC). 

O objetivo é realizar um pagamento de R$2000 como um abono extra para os beneficiários que, em sua maioria, fazem parte do grupo de risco. O pagamento vai contemplar segurados que recebem até 3 salários mínimos.

Vale ressaltar que aposentados e pensionistas ficarão sem receber benefício em dezembro em decorrência do adiantamento do 13° salário. Com isso, as condições financeiras de milhões de idosos serão prejudicadas no meio de uma pandemia.

Projeto prevê abono extra
Projeto prevê abono extra

Para acompanhar o andamento do projeto, basta acessar o site oficial do Senado Federal e seguir as movimentações. 

Quem pode receber o abono extra

A partir da aprovação do Projeto de Lei, todo aposentado e pensionista do INSS somado aqueles que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), ou seja, idosos acima de 65 anos e pessoas com algum tipo de deficiência que não são capazes de manter uma renda fixa. Para pertencer a esse grupo, é necessário preencher a alguns critérios como:

  • renda por pessoa deve ser inferior à um quarto do salário mínimo;
  • registro atualizado no Cadastro Único (CadÚnico).

O benefício deve ficar até o final do decreto que determinou o estado de calamidade pública, previsto para terminar em dezembro de 2020.

Como será feito o pagamento do abono extra

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) informou que já pensa na implantação de um pagamento automático para os benefícios concedidos após aprovação do Projeto de Lei. A ideia é facilitar o processo de recebimento, através de aplicativos para celular, para que nem todos precisam ir até uma agência da Caixa Econômica Federal.

 

Felipe Calbo
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo atuante na chamada "massa de mídias", trazendo mais um braço da pluralidade de opinião em detrimento do mito da imparcialidade.

Deixe seu comentário