Agendar Seguro Desemprego – Como fazer e Onde agendar

Durante o período de pandemia, os trabalhadores passaram a contar com uma maneira mais fácil de dar entrada no seguro desemprego, de modo que não precisa mais agendar atendimento para ter acesso ao benefício.

Agora é possível dar entrada e fazer o requerimento pelo Portal Emprega Brasil. Com isso, não é mais necessário comparecer a uma unidade do Sistema Nacional de Emprego (Sine) para ter acesso ao valor.

O trabalhador pode cumprir todas as etapas do processo de forma totalmente online. A seguir, vamos mostrar como solicitar e dar entrada no seguro-desemprego de forma 100% online.

agendar seguro desemprego

Mas antes de seguirmos, vale destacar que o trabalhador que preferir agendar para ser atendido pessoalmente continua tendo essa opção.

Se o cidadão optar por ser atendido nas Gerências Regionais do Trabalho, nas Superintendências Regionais do Trabalho, ou em outros Postos de Atendimento, ele pode ir até a unidade mais próxima ou acessar a plataforma SAA (Sistema de Atendimento Agendado) por meio deste link. Na página, basta informar os dados solicitados e clicar em “Prosseguir”.

Além disso, também é possível fazer o agendamento pelo Aplicativo Carteira de Trabalho Digital, disponível para Android e iOS.

Vale a pena agendar atendimento para receber o seguro-desemprego?

Antes, o trabalhador já conseguia dar entrada no seguro-desemprego pela internet. Mas o procedimento ainda exigia o comparecimento a um posto de atendimento para conferir a documentação.

Mas a nova funcionalidade do Portal Emprega Brasil permite apresentar os documentos todos diretamente pela internet. Com isso, a necessidade de comparecimento a uma unidade do Sine será apenas em casos de pendências ou divergências cadastrais.

Entretanto, por estar em fase inicial, a tendência é que muitas solicitações ainda precisem ser confirmadas pessoalmente. Mesmo assim, os representantes esperam que a quantidade de cidadãos que consigam fazer tudo pela internet aumente gradualmente.

Dessa forma, não tem mais porque agendar a ida até uma agência qualquer para resolver algo que pode ser feito em casa. Afinal, a nova alternativa é interessante para quem precisa dar entrada no seguro-desemprego. Com ela, o trabalhador evita transtornos como filas de espera, e não fica exposto ao novo coronavírus.

Como solicitar o seguro-desemprego pela internet

Para dar entrada no seguro-desemprego de forma 100% online, o trabalhador deve seguir este passo a passo:

  1. Acesse o Portal Emprega Brasil por meio deste link;
  2. No canto esquerdo da tela, clique na opção “Cadastrar”;
  3. Na página seguinte, preencha os dados solicitados, como CPF, nome completo, número de telefone e e-mail;
  4. Clique para confirmar que não é um robô, e depois para aceitar os Termos de uso;
  5. Confirme a sua data de nascimento, e na sequência escolha uma senha provisória. Um código será enviado para o e-mail ou celular cadastrado;
  6. Informe o código e clique em “validar cadastro”, depois é só criar uma senha definitiva;
  7. Volte à página inicial e selecione a opção “Entrar”. Quando o acesso for liberado, clique na opção referente ao seguro-desemprego;
  8. Por fim, você deve responder a um formulário com algumas questões sobre o seu histórico de trabalho e formação acadêmica.

É importante destacar que no momento do cadastro, é recomendado ter em mãos alguns documentos. Isso porque o procedimento só prossegue se o trabalhador acertar no mínimo quatro das cinco primeiras questões. Caso contrário, terá de esperar 24 horas para fazer uma nova tentativa, ou contatar o INSS por meio do número 135.

Documentos para solicitar o seguro-desemprego

Os documentos que o cidadão deve ter em mãos para dar entrada no seguro-desemprego são:

  • CPF e Documento de identificação;
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social;
  • Documento de Identificação de Inscrição no PIS/PASEP;
  • Requerimento de Seguro-Desemprego / Comunicação de Dispensa impresso pelo Empregador Web no Portal Mais Emprego;
  • Para os contratos superiores a um ano de trabalho: Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho​, com o código 01 ou 03 ou 88, devidamente homologado;
  • Para rescisões de contrato de trabalho com menos de um ano de serviço: Termo de Quitação de Rescisão do Contrato de Trabalho (acompanha o TRCT);
  • Para rescisões de contrato de trabalho com mais de um ano de serviço: Termo de Homologação de Rescisão do Contrato de Trabalho (acompanha o TRCT);
  • Documentos de levantamento dos depósitos no FGTS ou extrato comprobatório dos depósitos.

Qual o valor do benefício?

Como o valor do seguro-desemprego não pode ser inferior a um salário mínimo, ele deve variar entre R$ 1.039 e R$ 1.813, que é a parcela máxima. O cálculo do valor é conforme a média salarial do trabalhador:

  • Média salarial até R$ 1.599,61 – Multiplica-se o salário médio por 0.8 (80%);
  • Entre R$ 1.599,62 e R$ 2.666,29 – Multiplica-se por 0,5 (50%) e soma-se a R$ 1.279,69;
  • Acima de R$ 1.599,61 – O valor do benefício será de R$ 1.813.

Se estiver tudo certo, o trabalhador deve receber a primeira parcela em 30 dias. Caso haja ajustes, o tempo de espera pode aumentar. Em relação ao número de parcelas recebidas, a quantidade varia conforme o tempo trabalhado, e deve ser de três a cinco.

O Portal Emprega Brasil, que tirou a obrigatoriedade de agendar atendimento para dar entrada no seguro desemprego, foi desenvolvido pela Dataprev.

Deixe seu comentário