Crédito estudantil privado – saiba quais as regras e como contratar

Se deseja uma graduação, mas não foi selecionado para o Fies (financiamento público), o crédito estudantil privado pode ser uma alternativa. Mas para entender em quais casos vale a pena optar por este recurso é preciso fazer algumas considerações.  

Primeiro, tenha em mente que o crédito estudantil é muito semelhante aos demais empréstimos fornecidos pelos bancos e pelas financeiras. Basicamente, é repassado o dinheiro para que seja custeado o estudo e você fica responsável por devolver posteriormente a quantia e mais os acréscimos de juros com correção monetária. 

É fato que nenhum outro empréstimo estudantil vai ser tão vantajoso quanto às condições oferecidas pelo governo, com o Fies. Mas se não há para onde correr, é possível encontrar oportunidades de financiamento que também valham a pena. 

Para isso, na maioria dos casos, é preciso ser correntista em algum banco para conseguir o financiamento. Se você já tem a sua, pode solicitar uma simulação. No caso de outro banco ter propostas mais interessantes, talvez seja o caso de abrir uma nova conta por lá. 

Como contratar crédito estudantil

Como funciona o financiamento estudantil?

Diferente do Fies que financia as mensalidades durante todo o curso, o empréstimo privado – quando aprovado – concede verba suficiente para o aluno se manter por um semestre. Outra coisa que muda é prazo para começar a pagar esse financiamento. Pelos bancos e financeiras esse período termina, geralmente, em um ano. 

É preciso ter atenção ao avaliar as cartas de crédito estudantil do mercado. Ao fazer a simulação observe a diferença do valor do curso e do valor final (somando todas as parcelas) a ser pago. Vai existir uma diferença de valor que corresponde a tarifas de serviço, taxas de juros, ajustes monetários e/ou até outras cobranças. 

Se o valor final desse cálculo for muito superior ao preço pelo cobrado pelo curso diretamente na faculdade, talvez seja melhor fazer orçamento com as financiadoras concorrentes. Assim, você evita desperdiçar recursos e foge do endividamento, afinal, as parcelas precisam caber no bolso para quando chegar a hora de quitá-las. 

financiamento estudantil

Quem pode solicitar o financiamento estudantil? 

O empréstimo privado para financiar os estudos pode ser solicitado em muitos bancos. Geralmente, para fechar negócio as empresas levam em consideração os seguintes requisitos: 

  • CPF (Cadastro de Pessoa Física) não pode estar listado no SPC/Serasa;  
  • Ter mais de 18 anos (ou ter um representante legal se for menor de idade) 
  • Possuir a Declaração de Aptidão emitida pela universidade em que está matriculado; 
  • Ter uma testemunha para comprovar os rendimentos ou apresentar um fiador. 

Se estiver tiver dentro desses critérios básicos, basta começar as simulações para encontrar a proposta mais viável. É interessante procurar saber se a sua faculdade possui convênio com algum banco, pois o financiamento pode sair mais conta desta forma. 

É bom lembrar que enquanto o Fies, do Governo Federal, é voltado somente para a graduação, o crédito estudantil privado pode ser utilizado para pagar especializações como cursos técnicos, pós-graduação e MBA, seja na modalidade presencial ou até mesmo a distância. Além disso, em algumas situações é possível, sim, encontrar propostas excelentes. 

Ludmila Catharina
Uma jornalista de 23 anos, nascida e criada no quadradinho. Encantada por literatura e todas as formas de comunicação. Atualmente, ocupo o papel de estudante, mais uma vez, fazendo especialização em comunicação organizacional e estratégias digitais.

Deixe seu comentário