Financiamento estudantil: quais as alternativas para pagar seus estudos

O jovem brasileiro tem o sonho de ingressar em uma universidade, pois a graduação é uma forma de garantir a empregabilidade em uma área que se identifica, a fim de se ter uma renda e uma boa condição de vida.

Mas, em um país com uma enorme desigualdade social, milhões de estudantes não podem arcar com os custos de uma universidade. É nesse contexto que os financiamentos estudantis são como uma ponte para o acesso ao ensino superior.

Como financiar a graduação

Veja 5 exemplos de financiamento estudantil:

FIES – Fundo de Financiamento Estudantil 

O FIES é o financiamento mais conhecido dos estudantes. Através de uma parceria entre o Governo Federal, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, linhas de crédito são concedidas para os estudantes.

Nesse programa, o banco paga as mensalidades para a instituição de ensino e o estudante precisa pagar o financiamento para o banco após o término da faculdade. Ou seja, as parcelas desse tipo de financiamento estudantil são diluídas em um longo prazo e conta com juros menores do que um empréstimo normal.

O FIES passou por mudanças e agora tem três linhas de crédito:

  • FIES 1 – para pessoas de todo o país com renda familiar de até três salários mínimos por pessoa. Taxa zero de juros;
  • FIES 2 – para pessoas das regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte com renda familiar de três a cinco salários mínimos por pessoa. Taxa de 3% ao ano;
  • P-FIES – para pessoas de todo o país com renda familiar de três a cinco salários mínimos por pessoa. Taxa de 6,5% ao ano.

É importante lembrar que para poder ingressar no FIES, é necessário ter realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e atingir uma pontuação mínima de 450 pontos. Com isso, as vagas são oferecidas por ordem decrescente da nota do Enem.

Financiamentos com bancos

Outra forma de financiamento estudantil é feita diretamente com os bancos privados. Nesse caso, a participação no ENEM é dispensada, mas é necessário ter conta no banco e passar por uma avaliação de crédito.

Portanto, se o aluno tiver um score muito baixo ou restrição no CPF, provavelmente não consiga adquirir um crédito estudantil. Algumas opções no mercado são:

  • Crédito Universitário Bradesco – o banco possui uma linha de crédito estudantil para correntistas, com direito de financiar até 100% do semestre em até 12 vezes;
  • Santander Universidades – não é diretamente um financiamento, mas o banco tem o Crédito Educação Continuada, que permite o aluno se matricular em cursos extras e outras facilidades.

Empréstimos pessoal

Além dos programas de financiamento estudantil, o estudante pode realizar um empréstimo pessoal para pagar a faculdade, com condições que caibam no orçamento dele. As financeiras de crédito não são vinculadas a nenhum banco, ou seja, não é necessário ter conta corrente aberta.

Entretanto, essas empresas também realizam uma análise de crédito e costumam trabalhar com taxas de juros mais altas que os financiamentos estudantis. A Serasa Experian possui a ferramenta eCred que permite a simulação e comparação de ofertas de crédito de empresas parceiras.

Bolsas e descontos

É evidente as diversas formas de financiamento estudantil, seja por empréstimo ou crédito, mas o estudante também pode conseguir bolsas e descontos. O Programa Universidade para Todos (ProUni) é um exemplo de programa que oferece bolsas integrais e parciais.

Para participar é necessário cumprir alguns requisitos como ter feito o ensino médio em escola pública ou particular com bolsa integral e participar do ENEM do ano anterior. A classificação depende da nota no exame.

Sem contar que as próprias faculdades têm programas para bolsas de estudo, créditos e descontos para ajudar os alunos de baixa renda a bancar o curso. Por exemplo, descontos por pontualidade, ótimas notas ou por indicar outros alunos.

Felipe Calbo
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo atuante na chamada "massa de mídias", trazendo mais um braço da pluralidade de opinião em detrimento do mito da imparcialidade.

Deixe seu comentário

seis + oito =