Leilão de Carros Recuperados – Saiba como funciona

Na compra de um veículo financiada por intermédio de uma financeira ou banco, o comprador só toma posse direta do bem no momento que a dívida for totalmente paga. Os veículos recuperados são aqueles que foram tomados pelas instituições financeiras por conta da falta de pagamento do financiamento.

Portanto, até o pagamento da última parcela do crédito disponibilizado, o bem móvel é uma propriedade da instituição financeira e não do comprador. Sendo assim, as financeiras ou bancos podem tomar o veículo, leiloar e recuperar o valor do crédito cedido.

Vale ressaltar que os carros recuperados são diferentes de carros com sinistros, pois são carros em perfeitas condições para venda. A compra do carro recuperado é vantajosa para quem pretende economizar, pois geralmente tem valor 30% abaixo da tabela FIPE.

Caso o carro recuperado tenha sofrido sinistro, a informação estará contida na descrição do veículo leiloado. Mesmo assim é necessário tomar uma série de cuidados na hora de comprar um carro de leilão.

O comprador deve se informar sobre a empresa que está realizando o leilão, além de conhecer o procedimento do negócio e os possíveis riscos que estará assumindo.

Leilão de Carros Recuperados
Leilão de Carros Recuperados

Como funciona o Leilão de carros recuperados

O sistema dos leilões é bem simples, mas é muito importante o futuro comprador ler atentamente o edital do leilão. Nele estão todas as regras para realização da venda dos veículos, além do processo de arrematar um veículo e fazer o pagamento.

Dessa forma, o comprador não deve ter surpresas na hora do leilão. Em seguida, deve-se verificar os lotes de veículos ofertados. Os carros podem ser vistos presencialmente ou pelo site da empresa que realiza o leilão.

Quando encontrar algo que seja interessante, basta dar um lance superior ao lance mínimo e, caso outras pessoas se interessem pelo mesmo veículo, haverá uma disputa lance a lance até chegar no momento que apenas um comprador dará o maior lance.

Após o comprador arrematar o carro, não é possível cancelar a operação. Caso o pagamento não seja realizado, o cadastro do comprador será bloqueado e estará impedido de participar de outros leilões de carros.

As instituições financeiras costumam divulgar aos interessados os leilões que serão abertos por cada estado. Com isso, os interessados podem entrar em contato com as empresas a fim de receber mais informações sobre o pregão.

A empresa responsável pelo leilão geralmente não disponibiliza a opção de parcelamento da compra. O pagamento deve ser feito a vista e, normalmente, em um prazo de cinco a sete dias. Vale lembrar que também são cobrados algumas taxas como: 5% de comissão para o leiloeiro e custos com documentação e guincho.

Como verificar a procedência de um veículo de leilão

O principal ponto negativo de um leilão é o fato de que o interessado não pode testar um veículo, ou seja sequer liga-lo. Visto que existe um enorme quantidade de veículos ofertados e seria inviável cada comprador testar os carros interessados.

Portanto, as empresas responsáveis pelos leilões não conseguem oferecer as mesmas condições de avaliar um carro, em comparação com os vendedores de concessionárias, por exemplo.

No dia do leilão só é possível checar alguns detalhes de funilaria e pintura e o que for possível avaliar a olho, no que se refere a mecânica do carro. Portanto, se o comprador não tem condições de analisar o carro e determinar um valor para ele, o leilão pode não ser um bom negócio.

Felipe Calbo
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo atuante na chamada "massa de mídias", trazendo mais um braço da pluralidade de opinião em detrimento do mito da imparcialidade.

Deixe seu comentário

cinco × 5 =