Previdência Privada vale a pena? Saiba como funciona e como contratar

A previdência privada é uma forma de aposentadoria alternativa ao sistema do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O setor é regulado e fiscalizado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), do Governo Federal. 

A principal diferença é que nos planos de previdência privada é possível escolher a quantia que será contribuída e a periodicidade que será realizada. Obviamente que o valor que será pago quando for usufruir da previdência será proporcional ao que contribuiu. 

Outro ponto positivo é poder resgatar o valor investido na previdência privada a qualquer momento, em caso de desistência. Contudo, vale checar as formas de tributação dos planos escolhidos.  

Existem duas tabelas: a regressiva, em que o resgate deve ser feito de uma só vez e a progressiva, que serve para receber a quantia em parcelas mensais. 

Previdência privada

Como contratar um plano de previdência privada

No contrato devem constar o regime tributário que será fornecido pela empresa. Existem dois tipos de previdência privada para serem escolhidos pelos clientes. São eles:

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

O Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL), é recomendado a pessoas de alta renda por conta de o valor pago ao plano ser abatido no Imposto de Renda. Entretanto, no momento do saque do benefício um imposto proporcional será descontado.  

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

Já o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) não pode ser abatido no Imposto de Renda, porém o imposto cobrado no momento do saque será proporcional ao valor do rendimento. Esse plano é indicado para pessoas com renda menor e que declaram impostos simplificados ou nem declaram. 

É possível determinar no plano que os filhos e a mulher continuem recebendo a renda se ele morrer. Quando uma pessoa inicia qualquer uma das duas modalidades pode atrelar a seu plano um valor no caso de morte ou invalidez. Portanto é também uma forma de seguro.

Requisitos para previdência privada 

Qualquer pessoa pode contratar um plano de previdência sem necessidade de comprovação de renda ou idade. As entidades credenciadas podem ser encontradas no site da Susep. Na página tem como simular um plano de previdência e quanto será o benefício recebido conforme os modelos escolhidos. 

Como funciona a previdência privada

Taxas cobradas na previdência privada

As entidades de previdência geralmente cobram três tipos de taxas dos segurados: carregamento sobre cada contribuição, gestão paga anualmente e a saída paga no momento do resgate do benefício.

Por exemplo, um cliente que aplicar R$1000 mensalmente na previdência acumulará  entre R$11 mil e R$12 mil em um ano. Vale ressaltar que nesses valores não estão considerados os rendimentos dos fundos e as taxas obrigatórias.

Elas variam no mercado nacional a depender da empresa previdenciária. As taxas devem ser consideradas no momento de fechar um contrato. Algumas empresas, por exemplo, podem não cobrar a taxa de saída no momento do resgate das aplicações.

A Susep oferece atendimento ao público de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 9h30 às 17h, pelo telefone 0800-21-8484. Na Internet, dúvidas podem ser enviadas pelo site da entidade

Deixe seu comentário