Veja como fica o carnaval de 2021 após pandemia

Por conta da pandemia mundial do novo coronavírus, o carnaval de 2021 pode ser adiado em diversas regiões do Brasil. Para saber como o evento será realizado este ano basta acompanhar o artigo até o fim.

Carnaval 2021

Apesar do processo de imunização ter iniciado no começo deste ano em alguns estados brasileiros, os eventos tradicionais e grandiosos como o carnaval ainda não possuem datas definidas.

Geralmente a celebração nacional ocorre no mês de fevereiro, mas por se tratar de uma festividade que propaga aglomeração, a decisão de adiar o carnaval foi tomada com base no alto índice de contaminação, bem como o elevado número de mortes que ainda repercutem por conta da Covid-19. 

Vale reforçar que o adiamento da folia será empregado tanto nos blocos e festas de rua quanto nos sambódromos, especificamente, nos desfiles de conceituadas escolas de samba.

Expectativas

De modo geral, os estados brasileiros que todos os anos recebem os tradicionais eventos carnavalescos como Bahia, Rio de Janeiro, Recife, São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais e outros, ainda não definiram uma nova data para o carnaval 2021.

Até o momento, a decisão de suspender o evento é unânime entre as regiões até que o processo de imunização seja finalizado e o número de pessoas contaminadas e mortas pelo vírus sejam drasticamente reduzidas e controladas.

Apesar de o período de carnaval não ser considerado feriado nacional, apenas estadual e data facultativa em alguns estados, em alguns municípios as folgas ainda serão oferecidas, como em Florianópolis, Salvador, Recife e Rio de Janeiro.

Apesar do feriado estadual ter sido oficializado por essas regiões, diversos decretos foram divulgados sinalizando a proibição de festas e eventos que gerem aglomerações tanto em ambientes públicos como particulares.

Carnaval segue sem previsão este ano

Outros municípios e estados afirmaram que o calendário de 2021 não contará nem com ponto facultativo nem com feriado, como é o caso de Belo Horizonte. Já o estado de São Paulo não se posicionou em relação ao período, pois alega estar condicionado ao processo de vacinação.

Apesar das entidades de saúde recomendarem o cancelamento do carnaval e os estados e municípios decretarem o cancelamento e adiamento do evento até que a situação pandêmica seja normalizada, muitos artistas que fazem sucesso nessa época do ano, bem como foliões, discordam da decisão.

Contudo, até que a maior parte da população brasileira seja vacinada, principalmente os cidadãos categorizados no grupo de risco, entre eles indígenas, idosos e pessoas com doenças cardiorrespiratórias, os encontros que causam aglomeração ainda são considerados de alto risco.

Além disso, especialistas afirmam que mesmo que a vacinação ocorra em todo o território nacional ainda será necessário seguir todos os protocolos de saneamento e de higiene, bem como a utilização de máscaras e álcool em gel, por um tempo até então indeterminado.

Essa precaução é recomendada com base na não extinção do vírus de forma imediata, sendo que será necessária mais de uma dose para que as pessoas vacinadas estejam imunes ao coronavírus ou contrariem apenas sintomas leves da doença.

Felipe Calbo
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo atuante na chamada "massa de mídias", trazendo mais um braço da pluralidade de opinião em detrimento do mito da imparcialidade.

Deixe seu comentário

1 × quatro =