Como calcular o Salário Líquido? Aprenda de Uma Vez por todas

Se você é um empregado registrado conforme a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), provavelmente, fica com dúvidas no momento que recebe o holerite no início do mês, não é verdade? São muitos acréscimos e descontos lançados que resultam no salário líquido que você recebe na sua conta bancária.

Para ajudar você a aprender de uma vez por todas como calcular o seu salário líquido, neste texto separamos as principais informações sobre este assunto. Continue a leitura e confira!

Calculadora para calcular o salário líquido

Quais são os acréscimos ao salário bruto?

Os trabalhadores registrados de acordo com a CLT têm direito a adicionais e a gratificações, como salário-família, adicional de periculosidade, adicional de insalubridade, horas extras, adicional noturno, comissões, DSR (Descanso Semanal Remunerado), entre outros.

Esses valores são somados ao salário bruto do empregado, bem como servem de base para o cálculo da contribuição do INSS e do Imposto de Renda. Veja, a seguir, os principais  acréscimos ao salário bruto. Vamos lá!

Salário-família

O salário-família é um benefício concedido para os funcionários, esse valor é pago mensalmente conforme a quantidade de filhos ou equiparados. Para que o trabalhador receba essa quantia é necessário que os filhos tenham idade inferior a 14 anos, exceto no caso de invalidez, nesse caso não tem limite de idade.

Além disso, o funcionário não pode receber salário acima do valor estipulado como limite pelo Governo Federal. Em 2020, o valor limite da remuneração era de R$ 1.425,56 e o valor do salário-família por filho era de R$ 48,62, conforme a Portaria n° 3.659, de 10/02/2020.

Adicional de Periculosidade

O adicional de periculosidade é fornecido para o trabalhador que executa atividades ou operações perigosas, que, por sua vez, podem colocar em risco a sua vida. Portanto, têm direito a esse benefício os funcionários que trabalham expostos a inflamáveis, a explosivos, a radiação e a energia elétrica, bem como aqueles que podem estar sujeitos a roubos ou a qualquer espécie de violência física.

As atividades periculosas estão descritas com mais detalhes na Norma Regulamentadora n.º 16. O valor do adicional de periculosidade é calculado com base no salário bruto do funcionário, sendo o valor do benefício igual a 30% do salário.

Adicional de Insalubridade

O adicional de insalubridade é pago para os trabalhadores que exercem suas funções em condições insalubres, ou seja, que estão expostos a riscos ocupacionais acima do limite de tolerância descrito na Norma Regulamentadora n.º 15 e nas Normas de Higiene Ocupacional da Fundacentro.

Nesse caso, dependendo do nível de exposição aos agentes nocivos, o funcionário pode receber um adicional de 10%, 20% ou 40%. Esse percentual é estipulado pelo Engenheiro de Segurança do Trabalho por meio do Laudo de Insalubridade. Para calcular o adicional de insalubridade é utilizado como base o salário mínimo federal vigente.

Horas Extras

A hora extra faz parte da remuneração dos trabalhadores que extrapolarem o horário de trabalho, sendo que o limite máximo para isso é duas horas diárias. O valor da hora extra é calculado com base na remuneração total (salário bruto mais adicionais e gratificações) e o percentual é de 50% de segunda a sábado e de 100% nos domingos e feriados.

Para calcular é necessário dividir a remuneração pelas horas mensais trabalhadas. Dessa forma, você saberá o valor por hora trabalhada. Em seguida, deve-se multiplicar esse valor por 1,5 para saber o valor da hora extra. 

Na sequência, você precisa multiplicar o valor da hora extra pela quantidade de horas extras trabalhadas. Assim, é possível identificar o valor correspondente a hora extra do trabalhador que deverá ser paga na folha de pagamento.

Adicional Noturno

O adicional noturno é pago para os trabalhadores que exercem suas funções entre 22h às 5h do dia seguinte. No caso da jornada de trabalho noturna, uma hora equivale a 52 minutos e 30 segundos. E o empregado tem direito a receber 20% sobre o valor da hora noturna trabalhada.

Para calcular o adicional noturno é necessário dividir o salário bruto pelas horas mensais trabalhadas, assim você tem o valor da hora trabalhada. Na sequência, deve-se aplicar o percentual de 20% nesse valor. O resultado deve ser somado a hora trabalhada, que, por sua vez, representará o valor da hora noturna.

Em seguida, você precisa multiplicar as horas noturnas trabalhadas pelo valor da hora noturna. Assim, conseguirá saber qual é a quantia de adicional noturno que deve ser pago ao trabalhador.

Quais são os descontos no salário bruto?

Os empregados formais também têm descontos associados ao salário bruto, como INSS, IR, vale-transporte, pensão alimentícia, faltas, atrasos, entre outros. Além disso, existem alguns benefícios em coparticipação, no qual o funcionário paga um percentual do valor. A seguir, veja os principais descontos no salário bruto. Confira!

INSS

A contribuição do INSS é descontada de acordo com a tabela vigente disponível pela Previdência Social. Para tanto, você deve utilizar como base de cálculo a remuneração total do empregado. 

Já a porcentagem de desconto pode variar de acordo com a quantidade de salários mínimos contidos dentro do valor do salário do trabalhador, já que ele é calculado de maneira progressiva.

De acordo com a tabela vigente em 2020, o trabalhador que recebe R$ 1.045,00, ou seja, um salário mínimo tem uma alíquota de desconto de 7,5%. Portanto, será descontado do salário bruto R$ 78,38 de contribuição do INSS. Lembre-se de que conforme o salário aumenta, o valor da alíquota também aumenta.

Imposto de Renda

O Imposto de Renda também é calculado com base na remuneração total do trabalhador, bem como tem um tabela vigente com as alíquotas de desconto de acordo com a Receita Federal. Para calcular o valor do IR é necessário deduzir o valor da contribuição do INSS da remuneração total.

Na sequência, você precisa descontar o valor dos dependentes (cônjuge e filhos até 21 anos), atualmente, esse valor é de R$ 189,59. Assim, é possível encontrar o valor que servirá de base para o cálculo do IR. Use esse valor para localizar na tabela do IR a alíquota de desconto. Em seguida, aplique a porcentagem encontrada no valor base do IR.

No resultado dessa conta deve ser descontado o valor indicado na tabela vigente, lembre-se de que para cada alíquota existe um valor correspondente. Dessa forma, você obterá o valor que será retido na fonte, ou seja, o valor do desconto do IR.

Vale-transporte

O vale-transporte é um benefício oferecido ao empregado de acordo com a Lei. O custo desse benefício deve ser dividido entre a empresa e o funcionário, por isso na folha de pagamento é descontado 6% do valor do vale-transporte.

Pensão alimentícia

A pensão alimentícia é um valor estipulado na justiça que o trabalhador deve pagar em relação ao sustento dos filhos. Esse valor deve ser retido na fonte, ou seja, precisa ser descontado na folha de pagamento e o valor deve ser destinado para a quem for de direito. Portanto, o valor da pensão é um dos descontos que devem ser aplicados no salário bruto. 

Faltas e atrasos

Os atrasos e as faltas também podem ser descontados do salário bruto desde que sejam injustificados. No caso das faltas é necessário dividir a remuneração total por 30 (dias), bem como multiplicar o resultado pela quantidade de faltas. 

Esse será o valor descontado na folha de pagamento do trabalhador em relação às faltas injustificadas. Lembre-se de que elas podem impactar na quantidade de dias de férias que você pode usufruir.

Já no caso dos atrasos, você deve dividir o valor da remuneração total pela quantidade de horas trabalhadas no mês. Assim, obterá o valor da hora trabalhada, com esse valor em mãos você deve multiplicá-lo pela quantidade de horas de atraso e terá o valor do desconto. Nesse caso, também é necessário descontar o DSR.

Benefícios

Os benefícios oferecidos pela empresa também podem ser descontados do salário bruto do funcionário desde que estejam de acordo com a Lei. Por exemplo, no caso do vale-refeição o desconto não pode ultrapassar 20%. Já em relação ao plano de saúde, esse desconto está limitado a 30%.

Como calcular o salário líquido?

Agora que você já sabe como chegar ao valor de cada acréscimo e desconto relacionado ao salário bruto de um trabalhador, fica mais fácil entender o processo para calcular o salário líquido. 

Nesse cálculo, você deve somar todos os acréscimos ao valor do salário bruto. Assim, é possível obter a remuneração total, ou seja, o salário bruto mais os adicionais e as gratificações. 

Em seguida, é necessário diminuir os valores dos descontos da remuneração total. O resultado dessa conta é o valor do seu salário líquido. Dessa forma, você conseguirá conferir os valores que constam no seu holerite.

Gostou deste texto? Então, continue acompanhando o nosso site e confira outros conteúdos exclusivos como este.

Tathiane Mantovani
Estudante de Jornalismo. Administradora formada pela UniCesumar. Especialista em Psicopedagogia Institucional, Design Instrucional, Gestão de Pessoas e Marketing de Conteúdo. Redatora SEO, Conteudista EAD e Escritora com 8 livros didáticos publicados nas áreas de Recursos Humanos e Segurança do Trabalho. Apaixonada pela arte da escrita e amante dos livros.

Deixe seu comentário

13 + dezesseis =