Cadastro Único: Entenda o que é preciso para ter acesso ao Cadastro Único

O Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – também chamado de CadÚnico – é uma importante base de dados sobre as famílias brasileiras de baixa renda. Ele possibilita que os gestores nacionais, estaduais, distritais e municipais identifiquem onde há maior escassez de recursos.  

O formulário disponibilizado para o cadastramento funciona como uma pesquisa que colhe informações bem específicas sobre as pessoas. Elas são questionadas sobre a renda, as características da residência, o nível de escolaridade, deficiência física e outros. A instituição responsável por fazer o cadastramento é o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). 

O principal objetivo dessa ferramenta é entender o contexto de vida das famílias brasileiras menos favorecidas de forma realista, para implementar projetos personalizados que possam reduzir o índice de desigualdade social no Brasil. 

De acordo com a Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação do Ministério do Desenvolvimento Social, atualmente mais de 25 milhões de famílias estão no Cadastro Único. A inscrição é um requisito para participar de benefícios como o Bolsa Família e outros 20 programas do gênero. Entenda a seguir o que é preciso para ter acesso ao Cadastro Único 

Cadastro único

Quem pode ser inscrever no Cadastro Único? 

Todas as famílias que se encontram em situação de pobreza ou extrema pobreza. Isto é, que tenham renda de: 

  • Até meio salário mínimo por pessoa (R$550,00); 
  • Até 3 salários mínimos de renda mensal total (R$3.300,00). 

Além disso, há outras situações que dão direito à inscrição no CadÚnico. Por exemplo, se uma pessoa sozinha se encontra desabrigada, em situação de rua; ou se uma pessoa for trabalhar em uma empresa que faça essa exigência.  

Ao se identificar com um dos perfis citados, o cidadão pode fazer o cadastramento imediatamente. O titular deverá atualizar os dados informados a cada dois anos ou sempre que tiver ocorrido alguma mudança no contexto familiar. Exemplos: 

  • A família mudou de cidade.  
  • Alguém começou a trabalhar ou recebeu aumento salarial;  
  • Alguma criança foi transferida de escola ou fez a primeira matrícula;  
  • Morte ou nascimento de alguém;  
  • Mudança de endereço;  
  •  Um integrante da família mudou-se de casa; 

Como ter acesso? 

Para ter acesso ao Cadastro Único a pessoa deve procurar o CRAS mais próximo de onde mora. Se não souber onde fica, o cidadão pode procurar a Prefeitura local para se informar. Não é possível se cadastrar pela internet, apenas presencialmente.  

Para o procedimento, o responsável pela unidade familiar precisará ter em mãos, pelo menos, o CPF ou o Título de Eleitor. Se possível, é interessante levar um comprovante de residência (como conta de luz) e a carteira de trabalho. 

Já em relação aos demais membros da família, o responsável precisará apresentar um desses documentos de cada um: Certidão de Nascimento; Certidão de Casamento; CPF; Carteira de Identidade; Carteira de Trabalho; ou Título de Eleitor. 

De quais programas sociais posso participar? 

Esses são os principais programas que são disponibilizados a partir do Cadastro Único: 

  • Programa Bolsa Família; 
  • Aposentadoria para pessoa de baixa renda; 
  • Bolsa Verde – Programa de Apoio à Conservação Ambiental 
  • Carta Social; 
  • Carteira do Idoso; 
  • Fomento – Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais; 
  • Isenção de Taxas em Concursos Públicos; 
  • Passe Livre para pessoas com deficiência; 
  • Pro Jovem Adolescente; 
  • Programa Brasil Carinhoso; 
  • Programa de Cisternas; 
  • Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI  
  • Programa Minha Casa, Minha Vida; 
  • Tarifa Social de Energia Elétrica; 
  • Telefone Popular. 

É possível confirmar se os dados de uma pessoa já constam ou não no Cadastro Único, e até mesmo verificar se ela tem direito a participar dos programas assistenciais. Para isso, basta instalar o aplicativo de celular Meu CadÚnico. Uma outra opção é fazer a consulta por telefone, pelo número 0800 707 2003. A ligação é gratuita. 

Ludmila Catharina
Uma jornalista de 23 anos, nascida e criada no quadradinho. Encantada por literatura e todas as formas de comunicação. Atualmente, ocupo o papel de estudante, mais uma vez, fazendo especialização em comunicação organizacional e estratégias digitais.

Deixe seu comentário

19 + 3 =