Matrícula Escolar 2021 em Curitiba tem vagas abertas a partir de 03/02

O período para a  matrícula escolar para novos alunos na rede municipal de ensino de Curitiba vai começar a partir do dia 3 de fevereiro. Para fazer o processo de inscrição dos estudantes é necessário ir até uma escola presencialmente, com o uso de máscara e respeitando o distanciamento social.

Também é preciso levar alguns documentos:

  • Certidão de nascimento do estudante;
  • Histórico escolar do estudante;
  • Carteira de vacinação atualizada;
  • CPF, RG e comprovante de endereço com CEP do pai ou responsável.

O processo de matrícula vale para novos estudantes, que não estão cadastrados na rede municipal de Curitiba e para crianças que se mudaram para a capital paranaense com familiares.

Essa é a segunda vez que a Prefeitura abre as inscrições para  a matrícula de novos alunos na cidade. A primeira, foi no final de 2020. Ainda sim, o Poder Executivo afirma que as famílias vão poder se matricular na rede municipal durante todo 2021.

O ano letivo de 2021 no Paraná vai começar no dia 18 de fevereiro.

Como fazer a apresentação da Declaração de Vacinação para a matrícula?

Fonte: Prefeitura de Curitiba

De acordo com a lei estadual 19.534/2018 é obrigatório apresentar a carteira de vacinação atualizada dos estudantes para a matrícula e rematrícula nas escolas. Essa medida vale para a Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio, nas redes pública e particular de ensino em todo o Paraná.

Em Curitiba, a Declaração de Vacinação pode ser emitida pelo Aplicativo Saúde Já. Para isso, basta baixar o app, acessar a opção “Carteira de Vacinação” e clicar em “Carteira de Vacina”.

Ao finalizar esse passo a passo será gerada uma versão da Carteira e Declaração de Vacinação que poderá ser impressa.

Atenção: a Declaração de Vacinação só é aceita pela instituição de ensino se estiver completa. Caso a criança ou adolescente não tenha tomado alguma dose de imunização é necessário que ela vá até alguma Unidade de Saúde para ficar em dia.

Se a família não  tiver acesso a um celular ou ao aplicativo Saúde Já de uma forma geral, também é possível ir até uma Unidade de Saúde e solicitar aos profissionais do posto a impressão da Declaração.

Como vão ser as aulas em 2021?

Muitos pais e responsáveis não veem a hora de levar as crianças novamente para a escola. Com a pandemia de covid19, que marcou quase todo o ano de 2020, as aulas presenciais foram suspensas. Dessa forma, a sala de aula e a casa de muitos brasileiros virou um único lugar.

O que para muitos foi algo positivo, para outros acabou gerando mais dor de cabeça. Realmente, não é fácil ter que conciliar o trabalho, afazeres domésticos e ainda ajudar os pequenos na hora dos estudos. Mas para quem acha que isso vai terminar em 2021, está enganado.

A Prefeitura de Curitiba anunciou que o ano letivo será híbrido, com aulas presenciais e a distância. Cabe às famílias escolherem qual formato elas preferem para as crianças. Quem preferir retornar com o ensino presencial vai precisar assinar um termo de compromisso e se comprometer a levar o aluno para a escola.

As aulas a distância continuarão sendo feitas da mesma forma que aconteceu em 2020. Os estudantes terão acesso ao conteúdo por meio das videoaulas da TV Escola Curitiba.

Algumas outras medidas foram instauradas pela Prefeitura para garantir segurança aos alunos que tiverem aulas presenciais nas escolas da rede municipal:

  • Formação específica para funcionários da limpeza sobre desinfecção dos locais de estudo;
  • Obrigatoriedade do uso de máscara para crianças, professores e outros funcionários;
  • Manter ambientes ventilados;
  • Abastecer e fazer a limpeza de totens de álcool em gel.

Mais informações sobre a volta às aulas podem ser consultadas no Protocolo de Retorno das Atividades Presenciais. 

Investimento para prevenção da covid19 nas aulas

Além da implementação do Protocolo de Retorno das Atividades Presenciais, a Secretaria Municipal da Educação de Curitiba investiu mais de R$2 milhões na compra de produtos de limpeza e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para a volta às aulas.

Foram adquiridos:

  • Tapetes sanitizantes;
  • Termômetros infravermelhos;
  • Totens para álcool em gel;
  • Máscaras reutilizáveis;
  • Face Shields;
  • Luvas de látex;
  • Álcool em gel 70%;
  • Álcool líquido 70%;
  • Papel toalha;
  • Sabonete;
  • Água sanitária;
  • Desinfetante.

De acordo com a Secretaria Municipal da Educação, os diretores das escolas também vão ter acesso ao Fundo Rotativo para fazer compras pequenas do dia a dia. Esse programa foi criado para a Prefeitura. De 2017 até 2020, R$60 milhões foram repassados para as unidades da rede municipal de ensino por meio dele.

Avatar
Formada em Jornalismo pela PUCPR. Atualmente está cursando Pós Graduação em Questão Social e Direitos Humanos na mesma instituição de ensino. Tem paixão por informar as pessoas e acredita que a comunicação é uma ferramenta que pode mudar o mundo!

Deixe seu comentário

8 − 2 =