Novo programa de renda básica: veja quem poderá participar

Tal como o Bolsa Família, o novo programa de renda básica busca dar amparo financeiro às pessoas em situação de extrema pobreza. Essa é a proposta do Bora Belém, projeto que foi aprovado com unanimidade pelos vereadores da Câmara Municipal, em caráter de urgência. A partir da implementação, as famílias que se enquadrarem nos requisitos vão receber até R$450 ao mês. 

Segundo informou Edmilson Rodrigues, atual prefeito de Belém (PA) que encaminhou o projeto à Câmara, a pretensão é aplicar no mínimo R$30 milhões no Bora Belém e distribuir entre a população mais carente, especialmente agora, já que o pagamento do Auxílio Emergencial deve ser interrompido.  

O Bora Belém foi elaborado com base em alguns dados que revelam um número considerável de pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Socias, do Governo Federal, que apesar de estarem dentro dos requisitos, não recebem nenhum tipo de assistência.  

Dentro desse grupo, as mães chefes de família terão prioridade em receber. A decisão se inspirou em uma pesquisa feita em setembro de 2020, onde foi constatado que 9.775 famílias chefiadas somente por mães, que têm filhos com idade entre 0 a 17 anos, se encontram em condição de extrema pobreza. A renda per capita dessas mulheres chegava no máximo a R$ 89 reais. 

Bora Belém

Como vai funcionar? 

O programa foi oficialmente divulgado na última semana. Todavia, ainda não está definida a data de estreia entre a população. A expectativa é de que as inscrições sejam abertas ainda neste semestre. A princípio, 9 mil famílias em situação de vulnerabilidade social devem ser atendidas. Número que deve aumentar aos poucos, conforme a expansão do programa, para chegar em 20 mil.  

A realização do programa é fruto de uma parceria entre o prefeito do município e o governo do estado do Pará, que vai diminuir o tempo de espera das famílias na fila para a adesão do benefício, e, ao mesmo tempo, amenizar os impactos econômicos da pandemia de coronavírus 

Além dessas autoridades, o Bora Belém vai contar com o apoio da instituição financeira Banpará para viabilizar o repasse dos valores. E a Fundação Papa João XXIII (Funpapa) se prontificou em fazer uma busca ativa, indo até os locais menos favorecidos da região, a fim de identificar pessoas que estejam passando necessidade e, assim, incluí-las no programa de renda. 

Bolsa Família no Pará 

O Banpará, que também faz a gestão do pagamento do Bolsa Família no estado do Pará, declarou que o prazo para o saque do benefício será estendido até o dia 29 de janeiro. A medida é uma segunda chance para que as famílias que perderam o primeiro prazo possam acessar o dinheiro. Caso contrário, o valor poderia expirar na conta bancária. Para sacar é necessário se dirigir a uma das agências do Banpará. O valor é de R$100 em cota única, isto é, uma parcela. 

Por meio do programa, também conhecido na região como Renda Pará, mais de 720 mil famílias já foram contempladas com o valor, só nos primeiros dias do ano, através do investimento de mais de R$ 72 milhões do tesouro estadual. Desse montante, mais de 146 mil beneficiários receberam na Região Metropolitana de Belém e os outros 573 mil eram do interior do estado. 

Ludmila Catharina
Uma jornalista de 23 anos, nascida e criada no quadradinho. Encantada por literatura e todas as formas de comunicação. Atualmente, ocupo o papel de estudante, mais uma vez, fazendo especialização em comunicação organizacional e estratégias digitais.

Deixe seu comentário

17 − doze =