Enem 2021: Data da Prova deve ser mantida para Novembro ou Dezembro. Veja o que diz o governo

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) está sendo planejado para acontecer nos meses de novembro e dezembro deste ano.

A informação é do presidente do instituto responsável pela prova, Alexandre Lopes, que declarou à imprensa neste domingo (07).

A edição de 2020 estava prevista para ocorrer em novembro, mas devido à pandemia, ela precisou ser adiada, por isso, as provas estão sendo aplicadas no início deste ano (2021).

Isso aconteceu, pois, com o aumento de casos e mortes por coronavírus, houve pressão para que o ENEM 2020 fosse adiado novamente, mas não aconteceu.

De acordo com Alexandre Lopes, o cronograma da edição de 2021 não deve ser alterado e deverá seguir o planejamento de realização, que tem como data provável o mês de novembro, em que o ENEM ocorria antes da pandemia, mas há possibilidade de ele ocorrer em dezembro.

A proposta é expandir a versão digital na edição de 2021, que foi aplicado nos últimos finais de semana pela primeira vez.

A ideia é que neste ano, mais pessoas façam o ENEM digital e até 2026, essa opção seja realizada em totalidade.

Mas, embora pareça uma opção fácil, há muitos desafios para que o ENEM digital se torne uma realidade.

Entre eles estão: levar internet para todas as escolas e tornar a avaliação digital algo corriqueiro a todos os estudantes, já que o desempenho do ENEM é usado em processos seletivos para que o aluno consiga uma vaga na universidade.

Enem Digital

O Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo ENEM, revelou no último domingo (07) que a primeira edição do Enem Digital teve uma abstenção total de 71,3%.

Para esta edição, 93.079 candidatos eram esperados, mas 26.7609 (28,7%) compareceram e 66.370 (71,3%) faltaram.

Vale saber que esse número exclui os candidatos escritos no Amazonas, que tiveram as provas suspensas na pandemia, e os candidatos de um local de prova de Macapá, que tiveram problemas estruturais e, por isso, a prova precisou ser cancelada.

Os estados de Tocantins, São Paulo e Mato Grosso do Sul tiveram as maiores taxas de abstenção do país: 77,2%, 76% e 75,2%, respectivamente.

Para o presidente do Inep, Alexandre Lopes, a taxa de abstenção era esperada, pois, no primeiro domingo, não compareceram no Enem digital, 68% dos candidatos.

Ele disse que ficou satisfeito com o resultado, pois apesar de ser um projeto-piloto, foi entregue tudo o que foi proposto.

De acordo com ele, a participação do estudante é uma escolha de cada um e a parte do órgão é garantir que os candidatos consigam fazer a prova sem problemas, mas se houver, a função é garantir a reaplicação.

“Em ano de pandemia, com todas as dificuldades de conseguir locais de prova, de conseguir pessoas para aplicarem a prova, o Inep conseguiu manter sua proposta de fazer Enem digital já na edição de 2020 e conseguimos fazer essa aplicação. Estamos muito satisfeitos com o resultado, muito satisfeitos por poder oferecer aos jovens do Brasil essa nova opção, que é o Enem digital, e que a partir de 2026 será obrigatório”, afirmou ao G1.

Erros do Enem digital 2021

No último domingo de prova (07), Queimado, no Rio de Janeiro, registrou falta de energia.

Os candidatos que estavam presentes farão a reaplicação da prova nos dias 23 e 24 de fevereiro.

Veja outros registros de falhas que ocorreram no primeiro dia de prova do Enem digital:

– Os candidatos de Belo Horizonte precisaram esperar até 2 horas para iniciar a prova;

– No Distrito Federal, os estudantes foram dispensados após erro no sistema;

– Problemas técnicos foram registrados em três locais de prova, no Tocantins;

– No Amapá, o único local de exame no estado apresentou problemas e foi interditado.

Bruna Santos
Jornalista formada pela Universidade Braz Cubas (UBC), em Mogi das Cruzes, com experiência em mídias impressas e on-line.

Deixe seu comentário

18 − 4 =